À Procura da Felicidade

O filme À Procura da Felicidade, que conta a história de Chris Gardner, é simplesmente imperdível. Percebe-se sua aplicação direta na educação, pela mensagem que transmite, que pode ser utilizada na formação de um caráter forte, com independência, auto estima e auto confiança.

Trata-se de um homem obstinado que luta para sobreviver e sustentar seu filho mesmo sob as mais árduas circunstâncias, sem que isso o faça ignorar os principais valores nem perder as esperanças. Gardner encontra-se nas mais desesperadas situações, sob constante pressão financeira, chegando a dormir no banheiro de uma estação de metrô e depois em abrigos. Nessa jornada angustiante, ainda é abandonado pela mulher, tendo que criar o filho sozinho. Mas nada disso o impede de manter o carinho e passar valiosas lições para seu filho, que depositara total confiança no pai. Os obstáculos parecem intransponíveis, mas a força de vontade de Gardner é ainda maior. Durante esta fase dramática de baixa, percebe-se que Gardner, em momento algum, abandona o pensamento em sua família, ou seus valores. Assim como seu filho não perde a confiança por nenhum instante, e essa reciprocidade formará a base para que possam se reerguer.
Em uma determinada cena do filme, quando Gardner jogava basquete com seu filho, uma preciosa lição de vida foi passada aos espectadores. O próprio pai fala para o filho desistir do sonho de ser um campeão algum dia, e ao perceber o desânimo do garoto, lhe dá uma bronca, explicando que ele não deve jamais deixar outros – inclusive o próprio pai – colocá-lo para baixo, repetir que ele não é capaz de algo. A inveja faz com que outros tentem diminuir as habilidades alheias, desestimulando qualquer um que pareça um pouco mais capaz em determinada tarefa. O pai afirma então que o filho nunca deve ligar para isso, para o que os outros falam dele, e que nada deverá ficar entre seus sonhos e a realização deles. Proteja seus sonhos sempre! A responsabilidade é individual, e isso vale ainda mais em um país onde muitos esperam passivamente soluções milagrosas através do governo.

A postura do próprio Chris Gardner enfatiza esse abismo que separa os eternos fracassados daqueles que chegam ao sucesso. Logo no começo do filme, Gardner avista um indivíduo saindo de uma Ferrari em frente a um prédio comercial. Todos à sua volta pareciam felizes. Ele pergunta ao desconhecido o que ele fazia para poder ter aquilo, e a resposta muda sua vida. O homem diz que era corretor de ações, e que para tanto bastava ser bom com números e com pessoas. Gardner coloca na sua mente então que chegará lá um dia, e parte para um processo obstinado de tentativa, superando os mais absurdos obstáculos. O grande diferencial que vejo é o fato dele olhar o sucesso alheio e admirá-lo, querendo buscar para si algo semelhante. Isso é oposto ao que vemos, infelizmente com boa freqüência, em pessoas invejando o sucesso alheio, e querendo destruí-lo ao invés de lutar para subir na vida por conta própria.

A aplicação do filme à educação de uma criança ou jovem, ou mesmo de um educador, é direta em diversos fatores:

  1. A vitória é sempre possível, mesmo que não pareça a um primeiro momento, mesmo com todas as adversidades, mesmo contra tudo e todos;
  2. A opinião mais forte sobre suas convicções deve vir de você. Acredite, e fará acontecer!
  3. Não desista de seus sonhos, e nem abra mão de seus ideais para alcança-los.
  4. Ser bem sucedido não é fácil, pode exigir muito esforço e dedicação.

Enfim, o filme pode ser usado para se educar pessoas com mais auto confiança, decididas, empenhadas, que valorizam o trabalho e vitoriosas.

Vale a pena dar uma conferida, com certeza!

8 pensamentos sobre “À Procura da Felicidade

  1. É certamente um filme forte, e, ao mesmo tempo, delicado e poético.
    Os “valores” que permeiam o filme nos apontam, inclusive, a moralidade imposta pelo modelo capitalista, de luta, sacrifício e superação; da vida difícil, mas que com dedicação, esforço e paciência é possível obter sucesso. Isso realmente é um modo de educação.
    O protagonista é abandonado, explorado e humilhado, nisso encontramos um certo conforto porque muitos de nós também sofremos com essas experiências, e isso, nos coloca em estado de empatia com ele.
    Penso que, não há mal algum em ter determinação e foco no objetivo profissional ou pessoal; ser determinado por necessidades de sobrevivência que nos rodeia, ou, por satisfação da conquista; também não penso que haja objeções quanto a presença e experiência da criança nesse contexto, mas penso que, a crítica contra esse sistema que explora e humilha é pertinente e necessária.
    No final do filme “A procura da felicidade” fica posto que essa “felicidade” está diretamente ligada ao “valor” mercadológico, onde a “felicidade” pode, de forma perversa, ser posta como algo que se pode ter apenas na apropriação de sucesso e dinheiro.
    Gosto de olhar esse filme e extrair dele a riqueza da relação de afeto entre pai e filho; numa “felicidade” construída dessa relação que acontece exatamente no percurso, e que, mesmo que o protagonista tivesse optado por ser um porteiro de prédio, esse afeto e amor seria tão forte e seguro quanto se pode ter diante de uma trajetória árdua como eles tiveram.
    Agradeço por compartilhar a sugestão. É relevante para pensar nosso papel de educadores, professores e pais, igreja e sociedade….

  2. Esse filme é maravilhoso, uma verdadeira lição de vida!
    Acredito que a mensagem passada serve para a vida de qualquer um, pois esforço, dedicação e caráter são imprescindíveis em qualquer ação que temos em nossas vidas!

  3. Nossa esse é um dos meus filmes favoritos! A dificuldade dele é tão real que não tem como assistir e não se comover. As vezes queria ser tão firme e focada nos meus objetivos quanto Gardner. O cansaço, o sofrimento, a fome, o sono, o filho, a falta de recursos financeiros não o impediu, nem por um instante de correr atrás do seu sonho. As vezes vou pelo caminho mais fácil, mas o caminho mais fácil não me trás a verdadeira satisfação e felicidade. Ele é um exemplo a ser espelhado.

  4. Já assisti esse filme uma vez e ele está na minha lista para assisti-lo uma segunda vez.
    É uma linda história que serve como motivação para todos, aqueles que estão passando por dificuldade e aqueles que precisam de um empurrãozinho para ir atrás de novas conquistas.
    Ah, sem falar que o Will Smith é incrível *—-*

  5. Já assisti esse filme inúmeras vezes e toda a vez me pego chorando. Esse filme é demais e passa valores sensacionais. Para mim o que mais me marcou nesse filme em minha reflexão é que em nossas vidas NUNCA devemos desistir de nossos sonhos, pois é isso que nos faz seguir em frente. A cada dia devemos buscar novos objetivos e criar novos planos para que a vida nunca perca seu sentido.

  6. Nossa, esse filme é realmente muito lindo! É uma lição de vida. É muito emocionante, quase impossível assistir o filme todo sem derramar algumas lágrimas….

  7. Ahhhh que legal vocês colocarem este filme aqui!!!! Já assisti várias vezes e amooooo, choro toda vez que assisto!
    Acho este filme um grande exemplo de superação e do poder do amor de um pai! =)

  8. Esse filme é realmente muito emocionante e nos mostra como a resiliência e persistência de um ser humano pode o levar a superação. O fato de o pai não desistir nunca, mesmo diante dos mais difíceis obstáculos faz com que o filme seja incrível… Adorei!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s